17 de fevereiro de 2021

O que é e como tratar parestesia após a extração do siso

A extração dos terceiros molares, mais conhecidos como dentes do siso, é simples e segura. O procedimento cirúrgico é bastante recorrente e já fez parte da vida de muitas pessoas. Como em toda cirurgia, no entanto, podem ocorrer complicações no pós-operatório.

Uma delas é a parestesia oral, que é a perda da sensibilidade no lado em que o dente foi extraído. É válido destacar que esse sintoma não ocorre em todas as cirurgias, mas como há o risco, é fundamental conversar com o cirurgião-dentista na fase pré-operatória.

A parestesia, por sua vez, tem tratamento. Confira abaixo quando ela ocorre e quais são os métodos terapêuticos mais eficazes.

O que é a parestesia?

A parestesia é um sintoma que causa a sensação de dormência ou formigamento e dificuldade nas sensibilidades de calor, frio, vibração, dor e ao toque em alguma parte do corpo.

No caso da parestesia oral, o sintoma surge na região da boca ou face, ocorrendo com frequência no lábio inferior.

O que causa a parestesia?

A parestesia aparece quando ocorre alguma lesão no nervo alveolar, que fica no interior da mandíbula e é responsável pela sensibilidade do lábio inferior e da região do queixo. O sintoma também pode surgir quando outros nervos são atingidos, como os presentes na língua ou na face.

A extração do siso não é responsável diretamente pela ocorrência da parestesia. A simples retirada do dente, feita com o procedimento certo, não provoca danos aos nervos. Uma eventual lesão pode ocorrer por conta de alguma intercorrência durante ou após a cirurgia de extração.

A sensação de dormência surge após a aplicação da anestesia, necessária para a retirada do siso. Entretanto, se o sintoma persiste após o efeito da anestesia passar, há a possibilidade de que o nervo alveolar sofra de alguma compressão por conta do inchaço do pós-operatório.

Outra possibilidade para a parestesia oral é a ocorrência de alguma fratura no osso mandibular, uma vez que há proximidade do dente do siso com o nervo. Por isso, a experiência do cirurgião-dentista é fundamental na extração do siso. 

Quais os tratamentos se a parestesia persistir?

Os sintomas que caracterizam a parestesia oral devem desaparecer gradativamente após a recuperação do período pós-operatório.

Se a parestesia é causada pelo inchaço, que comprime o nervo alveolar, a diminuição dos edemas levará à recuperação completa da sensibilidade. Em alguns casos, por sua vez, pode ser necessária a terapia com medicamentos que vão ajudar o nervo a se recuperar.

Nesse sentido, os cuidados do próprio paciente no pós-operatório também contribuem para a não incidência da parestesia. A aplicação de gelo no local pode minimizar os possíveis inchaços.

Outro método usado no tratamento da parestesia é a laserterapia. Esse procedimento estimula as funções nervosas, o que leva à diminuição dos sintomas e dos desconfortos. Mas é importante destacar que só um cirurgião-dentista preparado pode identificar o que realmente está provocando a parestesia.

Se você tiver extraído o siso e estiver com algum dos sintomas que caracterizam a parestesia, procure o seu cirurgião-dentista. Acompanhe nosso Instagram para saber mais sobre saúde bucal!

GOSTOU? COMPARTILHE ESSE POST EM SUAS REDES SOCIAIS

Deixe um comentário:


0 Comentários