COMUNICADO 02/17 – DIR
Campinas, 12 de abril de 2017
 

 

MUDANÇA NA COBRANÇA DO ATO COMPLEMENTAR
 

Em sua última reunião, o Conselho de Administração aprovou mudança na tratativa dos atos complementares nos nossos consultórios, visando facilitar a negociação direta desses atos não cobertos pelos nossos colegas para com os clientes.

Essa medida foi aprovada por diversos motivos: a Uniodonto tem consumido muito recurso para administrar os processos desses atos, de forma que 12% de taxa de administração acaba ficando muito aquém do necessário; frente à ANS, como o ato não é contratado, gera uma dúvida com relação à responsabilidade tanto técnica, como legal; via de regra, beneficiários cada vez mais nos questionam sobre valores aplicados aos atos complementares, nos colocando em rota de colisão com nossos colegas.

Como durante muitos anos esses atos eram, em grande parte, feitos via Uniodonto, haverá um tempo para adaptação, seja de nossos colegas, como também de nossos beneficiários. Sendo assim, colocamos como data final para a mudança, o dia 1º de julho.

A partir dessa data, todo ato complementar, aquele não contratado pelo plano, deverá ser cobrado diretamente pelo colega sem passar pela Uniodonto. Logicamente, pedimos o bom senso de todos para que casos em andamento (principalmente de Ortodontia) não tenham seus valores alterados, para que isso não cause constrangimento ao beneficiário e venha a promover reclamação aos órgãos de fiscalização. Lembrem-se que, hoje em dia, tudo é razão para se reclamar ao PROCON ou à ANS.

Para facilitar a forma de cobrança nos consultórios, estamos finalizando parceria com empresa fornecedora de maquinetas de cartão, com o menor valor de mensalidade e melhores taxas nas operações. Estamos negociando em nome dos colegas, que optarão pela contratação ou não, e assumirão essas despesas. Obviamente, a maquineta será ligada à conta corrente de cada um e poderá ser utilizada para qualquer operação com pacientes particulares, ou seja, um benefício estendido.

Mas, lembrem-se: os atos cobertos continuam sob a proteção de contratos e, segundo o Estatuto Social, não podem ser cobrados à parte em qualquer hipótese, sob penas legais. Isso também se aplica àqueles atos de Prótese e Ortodontia, quando fizerem parte da cobertura de algum plano, ou seja, deverão ser feitos via Uniodonto.

Aproveitamos para informar que o Conselho de Conduta Cooperativista abriu processo contra alguns colegas que cobram atos cobertos por fora (Estatuto Social), através de denúncia de beneficiários que vieram cancelar o plano que possuíam, por aquele motivo. Por sorte, até agora, nenhum desses beneficiários fez reclamação no site da ANS, o que geraria multa milionária à Uniodonto. Lamentamos profundamente esses acontecimentos, pois além de colocar em risco nossa cooperativa, colabora para que sejamos comparados aos nossos concorrentes, pois o cliente acaba dizendo “é tudo a mesma coisa”. Nós somos diferentes, somos melhores, mas temos que agir para isso. Sabemos que muitos de nossos clientes faltam a horário marcado, querem se aproveitar de situações que nos perturbam. Porém, não justifica que devamos ganhar a qualquer custo. A Uniodonto trabalha para dar resultado para os cooperados, tem aumentado a USO constantemente e entende que, embora sua luta seja diária e constante, a administração não conseguirá, sozinha, alcançar os objetivos esperados.

Pedimos a colaboração e responsabilidade de todos, não cobrando, de maneira alguma, por atos cobertos.

Grande abraço!